sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Sweet China Boy [parte 01]



Na pacata vila de Shaoshan (que em chinês antigo significa "cachorro da bunda pelada") nasceu em 1893 o pequeno Mao Zedong, conhecido no ocidente como Mao Tsé-Tung devido a uma daquelas transliterações infelizes que volta e meia nós vemos por aí. Sua mãe o chamava carinhosamente de "Mimico", mas todos no vilarejo o conheciam como "Zé-donguinho". E foi lá nesse lugar pacato cheio de arroz e bambu que ele aprendeu a andar de bicicleta, pegou catapora e deu o seu primeiro beijo em uma garota.
Mas o tempo não espera ninguém, e nem o pai de Mao Tsé-Tung. Só foi Zé-donguinho completar treze anos que o seu pai exigiu que ele deixasse a escola e fosse trabalhar em tempo integral na fábrica de tênis da Nike plantação de arroz da família.A idéia de largar a escola deixou Mao bem feliz, mas só de pensar que ele teria que mexer com arroz o dia inteiro o deixou enjoado. Já chega arroz no café da manhã, almoço e jantar. Já chega de arroz-doce no Natal e bolo-de-arroz no aniversário! Mao decidiu que era melhor morrer voltar a estudar do que lavrar arroz o resto da vida.
Ele juntou algumas mudas de roupas, algo pra comer (que não fosse feito de arroz) e sua coleção de figurinhas dos Pokémons (afinal, ele só tinha treze anos), amarrou sua trouxinha em uma vara de bambu e seguiu para Changsha (em chinês, "banguelo sorridente"), a capital da sua província, Hunan.
Em Changsha, Mao achou uma pensão barata, daquelas onde se convive com toda espécie de bêbados, vadios, advogados mal sucedidos e ratazanas de dois metros. Não era aquela beleza de lugar onde se sonha em morar, mas era o que dava pra pagar com o salário de lavador de pratos que ele ainda ia tentar arrumar. Mao deixou para trás sua família, os bolos-de-arroz e o apelido de Zé-donguinho. Ele era só um garoto e tinha uma nova vida para construir. Em seu quarto, Mao desfez a trouxa de roupas, guardou a pouca comida que havia sobrado na gaveta do criado-mudo que tinha menos baratas e foi dormir.
O capítulo de hoje da nossa história acaba por aqui, com o jovem Mao Tsé-Tung dormindo em uma cama infestada de ácaros super-evoluídos. Alguns de vocês vão simplesmente deixar ele sonhar, enquanto outros farão uma pergunta crucial: "se ele desfez a trouxa de roupas e guardou tudo na gaveta, o que ele fez com o bambu?" Bem, essa perguta só o Silvio Santos pode responder.

---
Atenção, esse material é de origem fantasiosa e não deve ser utilizado em trabalhos escolares ou levado à sério por pessoas sem senso de humor, bem como por oficiais do governo chinês.

3 comentário(s):

adriel disse...

ficou muito bom! lol
mas... acho o aviso lá embaixo ficou meio redundante... porque pessoas sem senso de humor já inclúi oficiais do governo!

Guilherme disse...

To adoranu suas locuraa siplesmente MARA!!

LoiRo disse...

asbel, a sua inspiração me inspira
HAHAHHAA